quarta-feira, 24 de agosto de 2011

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Sobre: Órbitas, mentalidade, focos e objetivos


Pretendo falar um pouco desse assunto de maneira mais simples possível, como um leigo. Utilizando os temas científicos e históricos apenas como exemplos e ilustração, ignorando (por ignorância) até algumas das leis que regem a complexidade de nosso universo físico.

Todos sabemos que o nosso mundo passou por um período chamado de “idade das trevas”, ou era medieval. E infelizmente a religião dita cristã, teve culpa nos massacres cometidos aos que ousavam obter conhecimento, afrontando às superstições e o misticismo da época; estes que ousavam dizer que a terra não era o centro do universo, ou que a mesma era redonda e girava em torno do sol; foram mortos e perseguidos por “afrontar a Deus” com sua ciência maluca. Por medo sem sentido, falta de fé e conhecimento, fizeram isso, os que se diziam cristãos; pois o desenvolvimento da ciência e o conhecimento obtido acerca do universo e de suas leis, tem somente mostrado quão complexa e grandiosa é a criação de Deus.

O desenvolvimento das ciências, o Renascimento e o próprio Iluminismo trouxeram consigo a abertura do conhecimento a todos, tendo influenciado até a reforma protestante. Contudo com esses movimentos culturais e filosóficos, o já conhecido egocentrismo tirou a fé da jogada (teoricamente), e o Teocentrismo cego imposto pela igreja e pelas tradições, foi substituído por um Antropocentrismo também imposto, e que enxerga muito mal.

Tomando como base esse Anthropos VS. Theos, percebemos que há uma tendência, não só ideológica, mas também pessoal, de se ter algo como centro, alvo de exaltação ou apologia; uma razão para existência, causa pra se viver ou morrer.


Fisicamente pode-se ver também, uma tendência natural de se ter foco ou centro em um objeto de maior magnitude, massa, densidade e que exerce atração sobre aquele que é atraído. Entendemos pela Lei da Gravitação Universal, que existe uma força fundamental de atração, que age nos corpos de acordo com suas massas e quantidade de matéria, unindo objetos e fazendo-os permanecerem em órbitas. "O planeta em órbita em torno do Sol descreve uma elipse em que o Sol ocupa um dos focos "[Primeira Lei de Kepler].    

Da mesma forma há uma tendência de se ter a mentalidade transformada e atraída por corpos (ideais reais), que estão em foco, ou seja, que se dá atenção a ponto de se ter a vida girando em torno deles, numa orbita composta por fatos e objetivos. Então, se entende que a partir do momento que alguém vive em função de algo, ou de outro alguém, nisso se faz presente uma relação de senhorio e servidão, “... Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo." (II Pedro 2: 19). Essa relação pode se dar de maneira direta e consciente, ou não, mas sempre é estabelecida uma relação de dependência entre a pessoa e aquilo em que ela tem foco.

Com isso vemos então que quando Deus diz: "Não terás outros deuses diante de mim." (Êxodo 20: 3), e "Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças." (Deuteronômio 6: 5), significa dizer que, tendo qualquer outra coisa como principal objetivo de existência; seja pessoa, objeto ou a si mesmo; consiste em uma forma de idolatria. É como rebaixar Deus a um plano secundário, permitindo-se ser irresistivelmente atraído e iluminado por outros “astros” de menor magnitude; focado em alguma coisinha sem importância, numa órbita errada e sem futuro, de um objeto sem estabilidade e com infinitas possibilidades de colisão interplanetária. Não podemos servir a dois senhores. Não podemos estar em duas órbitas. Cristo já realizou o impossível para que tivéssemos liberdade de estar em segurança sob a infinita, soberana e sublime atração de sua Glória [ler Colossenses 1: 19-22].

Estrela Antares - Alpha Scorpii 
Portanto, pegue todos os pensamentos e planos que excluem o Soberano e leve para a reciclagem, permita ter a mentalidade transformada e iluminada pela mente de Cristo, tome a servidão de um jugo verdadeiramente suave e leve cujo final é vida. E não permita de forma alguma que sua vida circule em torno de coisas sem futuro, mas que todas as atividades sejam para a glória de Deus, nunca visando à própria glória, e assim, tudo mais será acrescentado, e desta forma os relacionamentos ou conquistas serão saudáveis. Tenha foco, abra mão e se esforce por imitar e estar na órbita do gracioso salvador.

“Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.
E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. ”(Colossenses 1: 16, 17)


Paz,
J. Caetano Jr.

   


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...